Orçamento dos Gastos da Copa do Mundo no Brasil

O Brasil sediará a Copa do Mundo de futebol em 2014. Anos atrás, quando o Brasil convenceu a Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA) que tinha o melhor plano para sediar esse megaevento, grandes promessas de novos estádios esportivos locais e moderna infraestrutura foram feitas. O governo brasileiro encomendou vários estudos sobre o impacto econômico da Copa do Mundo, que estimou que o torneio vá gerar algo entre de R$140 a R$250 bilhões de reais para a economia do Brasil em um período de dez anos, que começou em 2010.

Há muitas razões por que as pessoas tomaram as ruas para protestar no Brasil. E uma das principais fontes de descontentamento foram os bilhões de dólares gastos em infraestrutura da Copa do Mundo em um país onde a pobreza ainda é prevalente. O valor gasto para a construção dos 12 estádios da Copa do Mundo é 66% maior que o previsto na Matriz de Responsabilidades assinada em 2010. Em valores absolutos, o orçamento subiu de R$5,3 bilhões para R$8,9 bilhões, incluindo os estádios privados bancados pelos clubes, mas financiados com dinheiro do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que já cedeu R$871,9 milhões aos clubes. Essas informações foram atualizadas pelo Ministério do Esporte. No entanto, essa não é a conta feita pelo Ministério do Esporte, que compara a elevação atual dos gastos com o último balanço das obras, divulgado em dezembro do ano passado, período no qual se verifica uma elevação de quase R$900 milhões com estádios. Se for comparado com o previsto em 2010, o orçamento subiu R$3,8 bilhões. Também não é incluído na conta do governo os R$900 milhões que serão pago pelo Estado da Bahia à concessionária responsável pela Fonte Nova, dividido em parcelas anuais de mais de R$100 milhões, durante 15 anos. Se forem levados em conta apenas os gastos de governos estaduais e Parcerias Público-Privadas para a construção dos nove estádios, o aumento no orçamento foi de 68% desde 2010. O valor previsto incialmente para a construção do Mineirão (Belo Horizonte), do Estádio Nacional (Brasília), da Arena Pantanal (Cuiabá), do Castelão (Fortaleza), da Arena Amazônia (Manaus), da Arena Pernambuco (Recife), do Maracanã (Rio) e da Fonte Nova (Salvador) subiu de R$4,8 bilhões para R$8,1 bilhões. Alguns números sobre os gastos da Copa do Mundo ajudam a explicar por que muitos brasileiros estão irritados com a forma como seu governo conseguiu a Copa do Mundo. Basta olhar o quadro abaixo: