Frank Sinatra Quase Foi o Protagonista de Duro de Matar

É bem possível que a figura de um cantor dos anos 40 não seja a que vem à sua mente quando você pensa em um protagonista de filmes de ação, mas isso quase ocorreu com Frank Sinatra.

No início de sua carreira em filmes, Sinatra fazia principalmente papéis de canto e fez nome como um ator, ganhando alguns Academy Awards e Globos de Ouro por suas atuações.

Dito isto, pode não se achar estranho a imagem do jovem Sinatra em um filme de ação. Mas, como Frank foi considerado para o papel?

Tudo começou com um autor chamado Roderick Thorp. Você pode não saber, mas o filme Duro de Matar foi baseado em um livro chamado Nada dura para sempre, por Thorp, que foi publicado em 1979. O LA Times resenhou o livro, dizendo que era “Um livro feroz e sangrento, tão único e exclusivamente brilhante em conceito e execução, que deve ser lido em uma única sessão.”.

Acontece que Nada Dura Para Sempre era a sequência de um livro chamado The Detective,  publicado em 1966, que foi transformado em um filme de mesmo nome, em 1968. O filme estrelado por (você adivinhou?) Frank Sinatra como o personagem principal, o detetive Joe Leland. O livro era extremamente popular, permanecendo na lista dos mais vendidos por um tempo, e o filme também foi bem na bilheteria, tornando Thorp renomado. Ele foi descrito como “corajoso”, por lidar com questões como a homossexualidade, mas era decididamente menos cheio de ação do que os filmes “Duro de Matar” que conhecemos hoje.

Duro de Matar  em si foi pego pelos produtores em 1988, quase 10 anos depois que o livro em que foi baseado ter sido publicado. Devido ao filme ser tecnicamente uma sequência, estava contratualmente obrigado a ter Frank Sinatra no papel principal. Já aos 73 anos, graciosamente recusou a oferta.

Depois que Sinatra recusou a oferta, o papel foi oferecido a Arnold Schwarzenegger, e o filme seria lançado em 1985 como continuação do filme Commando em vez de uma sequência de Detective. Schwarzenegger também recusou a oferta, e Bruce Willis foi lançado no papel principal, com o personagem John McClane.

Willis não era exatamente o tipo de pessoa que o estúdio esperava escalar para o papel. Na época, ele estava apenas conhecido por comedias, e não filmes de ação. Mas como o papel já havia sido recusados por uma variedade de outros atores, depois que fora rejeitado por Sinatra e Schwarzenegger, os produtores tiveram que se contentar com Bruce.

O filme, é claro, foi muito bem, com um orçamento de apenas US$28 milhões, arrecadou 140 milhões de dólares, ganhou quatro indicações ao Oscar, e foi bem recebido pela crítica. A franquia de  Duro de Matar  ainda está forte, embora seu escritor original e personagem principal não existam mais. Sinatra morreu em 1998 na idade de 82, enquanto Thorp faleceu em 1999, com 62 anos. Willis, por sua vez, fez uma bela carreira em Duro de Matar e outros filmes de ação.