Como Tratar a Síndrome do Pânico

Como Tratar a Síndrome do PânicoA Síndrome do Pânico ou Transtorno do Pânico é um problema psicológico que pode ser descrito como uma profunda ansiedade e medo de que algo ruim aconteça a qualquer momento, isso faz com que os pacientes fiquem trancados dentro de casa como forma de evitar essa situação ruim iminente.

Essa doença moderna e que está crescendo muito ultimamente ainda não tem uma causa conhecida, algumas pesquisas apontam para fatores genéticos determinantes, mas são apenas suposições, nada comprovado.

A questão é que a síndrome do pânico atrapalha a rotina daqueles que são acometidos pelo problema e impede que eles levem uma vida normal. Enquanto os ataques não estão acontecendo o doente consegue levar uma vida tranquila, se socializar e trabalhar normalmente, porém durante os ataques em que um profundo sentimento de medo se apodera dela o isolamento faz com que ela se afaste de sua vida normal e das pessoas que a cercam.

Sintomas

Os ataques acontecem de repente e alguns sintomas podem ser sentidos por até uma hora, o ápice é atingido com cerca de 20 minutos.

Vamos listar os sintomas mais comuns, em geral o paciente sente até quatro deles.

Dor no peito ou desconforto;

Tontura ou desmaio;

Medo de morrer;

Medo de perder o controle ou de uma tragédia iminente;

Sensação de engasgar;

Sentimentos de indiferença;

Sensação de estar fora da realidade;

Náuseas ou mal-estar estomacal;

Dormência ou formigamento nas mãos, nos pés ou no rosto;

Palpitações, ritmo cardíaco acelerado ou taquicardia;

Sensação de falta de ar ou sufocamento;

Suor, calafrios ou ondas de calor;

Tremores.

Tratamento

O diagnóstico deve ser dado após diversos exames, afinal é preciso descartar outras possíveis doenças antes de se chegar a conclusão de que o paciente sofre de síndrome do pânico.

Comprovado o diagnóstico medicamentos e terapia são a dupla essencial para se controlar o problema, porém não se automedique, é perigoso e pode piorar ainda mais o quadro.

Os medicamentos antidepressivos chamados inibidores seletivos da recaptação da serotonina (ISRSs) são normalmente receitados para a síndrome do pânico. Outros tipos de antidepressivos, como inibidores de recaptação da serotonina e norepinefrina (IRSNs) e medicamentos anticonvulsivos, em casos graves também podem ser receitados.

Outras ações como fazer exercícios regulares, dormir o suficiente, fazer refeições regulares e reduzir ou evitar a cafeína, alguns remédios para gripe e estimulantes também contribuem para uma vida mais saudável e controle e diminuição dos ataques.