Como Funciona o Câmbio Automático

Como Funciona o Câmbio AutomáticoUma evolução gigantesca ocorreu nos carros nas duas ultimas décadas. Até 1990 os carros possuíam apenas três marchas e mais a ré, a partir dessa década os carros passaram a possuir quatro marchas e atualmente os carros populares possuem usualmente cinco marchas,  existindo ainda carros que possuem até sete marchas.

Apesar de toda essa evolução no número de marchas o sonho de consumo para a maioria dos motoristas são os carros com cambio automático. Nesses carros o motorista não precisa realizar aquela batalha com a embreagem e o cambio para dirigir, o que convenhamos facilita muito a vida nas grandes cidades onde é normal ficar preso em  engarrafamento diários.

Como a maior parte dos carros no Brasil não possui cambio automático, criou-se no imaginário que ou é só acelerar que o carro se movimenta ou que é complexo mexer na marcha. Nesse artigo veremos que embora não seja tão simples, também não é nenhum bicho de sete cabeças.

Surgimento

Pode parecer estranho, mas o cambio automático existe há mais de oitenta anos e foi inventado por dois brasileiros no ano de 1932, tanto que esse sistema é popular nos EUA desde a década de cinquenta.

No Brasil ele não é muito utilizado por conta do alto custo de manutenção.  Sua troca de fluidos  é em menor quilometragem e custa bem mais caro que a do cambio mecânico, além disso, a sua  manutenção tem de ser mais especializada.

Funcionamento interno

Para que a marcha passe sozinha, o sistema de transmissão através de suas engrenagens calcula o coeficiente entre a velocidade do veiculo, o seu peso e a rotação por minuto do motor para saber quando aumentar ou reduzir a marcha.

Esse sistema de transmissão automática utiliza o sistema de engrenagens planetárias. Elas possuem tamanhos diferentes, mas todas elas estão sempre engatadas entre si, a relação da força é dada de acordo com a ordem que essas engrenagens estão conectadas.

Funcionamento externo

Apesar de parecer que para usar o cambio é necessário só acelerar, o negocio não é bem assim. O cambio possui letras no lugar dos números. Essas letras representam como ele irá funcionar. Toda vez que for necessário mudar o modo de funcionamento do cambio é necessário antes pisar no freio.

Seguem abaixo as siglas, o que significam e suas utilidades.

P – Park: para estacionar, recomendado para dar a partida e desligar o motor do automóvel. Bloqueia as rodas de tração.

R – Reverse: marcha-a-ré.

N – Neutral: ponto morto. Posição que pode ser usada ao dar a partida e desligar. Não bloqueia as rodas de tração.

D – Drive: para movimentar o veículo para frente, usado na maior parte do tempo de direção.

4 – 3 – 2 – 1: Posições que permitem o bloqueio das marchas 4, 3, 2 e 1. O bloqueio é usado em situações extremas quando o veículo troca várias vezes de uma marcha para outra. Por exemplo, em um aclive acentuado, ao se colocar na posição 2, impede-se o veículo de automaticamente trocar para a posição 3. Dessa forma bloqueia-se uma posição de marcha específica e não ocorre a troca automática entre elas. O mesmo procedimento é usado no freio motor.