Como Fazer uma Procuração de Plenos Poderes

Como Fazer uma Procuração de Plenos PoderesA procuração de plenos poderes é um documento genérico muito útil, pois evita um sem número de outras procurações.

A concessão de plenos poderes dá à pessoa a quem se destina a procuração o direito de lhe representar diante de repartições públicas, assinar em seu nome e em diversas outras situações.

Além de redigir a procuração é preciso reconhecer firma em cartório para que ela tenha validade, já a procuração de imóvel também precisa ser lavrada em cartório para ter validade judicial.

No modelo abaixo além dos efeitos ad judicia, ou seja, no âmbito judicial, ainda há cobertura ET extra, ou seja ela pode sair do órgão a que se destina e englobar vários outros.

Modelo

Eu, nome completo, nacionalidade, estado civil, profissão, inscrito no CPF nº 123.456.789-00 e no RG nº 12.345.678, residente e domiciliado à Rua X, na cidade de São Paulo, e o Outorgado, nome completo (daquele a quem são concedidos plenos poderes), nacionalidade, estado civil, advogado, inscrito na OAB-SP sob o nº 12.345, com escritório profissional à Rua Y, na cidade de São Paulo/SP.

Descrição de poderes: Plenos poderes, inclusive os das cláusulas “AD JUDICIA” e “AD NEGOTIA”, para o Foro em geral, representá-lo(a) junto a Repartições Públicas Federais, Estaduais e Municipais, Receita Federal, Cartórios, Tabeliães e Registro de Imóveis, Consórcios, SERASA, SPC, órgãos particulares, Bolsas de Valores, DETRANs, INSS, Justiça Eleitoral, Empresas Telefônicas, audiências, Juízo, Instância ou Tribunal receber citações, notificações e intimações, requerer, retirar, assinar e apresentar documentos, alegar e prestar declarações e informações, mover ações judiciais, constituir advogado, defender seus direitos e interesses, resolver e assinar tudo que for referente a heranças, inventários e partilha de bens, receber benefícios, renovar/atualizar/regularizar/recadastrar CPF e título de eleitor, comprar/vender/negociar/transferir ações no mercado de ações, comprar, vender, transferir e alugar quaisquer bens móveis e imóveis, semoventes, inclusive veículos, assinar, receber e outorgar quaisquer escrituras de compra e venda e cessão inerentes, e documentos de transferência, guias, administrar bens, assinar contratos, adjudicar, concordar, discordar, desistir, transigir, contratar, assinar e ratificar quaisquer termos e compromissos, receber e dar quitação, bem como representá-lo(a) em quaisquer estabelecimentos bancários, para abrir, movimentar e encerrar contas, emitir, endossar, descontar e assinar cheques, fazer depósitos, retiradas, transferências e aplicações, solicitar extratos de contas e talões de cheques, reconhecer, verificar e ou contestar saldos, solicitar/trocar/cadastrar senha e cartão magnético, solicitar senha para acesso a contas via internet, enfim, praticar todos os atos legais necessários ao fiel cumprimento do presente mandato. São Paulo, 28 de março de 2013. Assinatura.