Como Fazer Gato De Energia

Como Fazer Gato De EnergiaA conduta de se apropriar indevidamente de energia sem a autorização da distribuidora é crime. Muitas vezes a própria autoridade policial, quando da abertura dos inquéritos, e também o Ministério Público, no momento do oferecimento da denúncia, acabam por confundir-se. Os tipos penais associados à conduta são, geralmente, o estelionato ou o furto. O Código Penal define o furto, em seu artigo. 155, como a conduta de “subtrair, para si ou para outrem, coisa alheia móvel” do mesmo artigo afirma que “equipara-se à coisa móvel a energia elétrica ou qualquer outra que tenha valor econômico”. Assim, parece claro que o famoso “gato” de energia, que consiste em ligações clandestinas que visam subtrair energia da distribuidora sem sua autorização, pode facilmente ser enquadrado neste tipo penal.

1. O Que Pode Causar

ligações clandestinas de luz sobrecarregam o sistema, causam trastorno aos consumidores e desfalcam as concessionárias. E também para o cidadão cuja energia é desviada, já que ele tem de arcar tanto com sua própria conta de luz, quanto com a do infrator. A maior parte dos gatos é feita puxando energia do poste, ligando uma ponta do fio ao poste e a outra diretamente na ligação da residência, fazendo assim com que a energia não passe pelo medidor de energia. Essas ligações, porém, são ilegais e perigosíssimas e podem causar choques elétricos e até incêndios.

2. Como Identificar O “Gato”

Imagine duas residências, uma próxima à outra. Em uma delas, funciona durante todo o dia uma geladeira de potência 300 W. Cada uma dessas residências possui quatro lâmpadas com potência de 100 W e que funcionam em média 1 hora por dia, além de cada uma também ter um ventilador e uma televisão, ambos com potência média de 60 W e funcionando em média 4 horas por dia. Mensalmente, o mediador faz a leitura da energia consumida por residência e compara as medidas para ver se estão compatíveis. Certo mês, ele constata que uma das residências teve um de consumo 342,4 kW, e a outra de 142,4 kWh. O que ele pôde verificar com essas leituras? É simples: Cada residência tem de consumir por mês em média 30 . (300.24 + 400.1 + 120.4) = 242400 w.h = 242,4 kWh. Como o consumo de umas das residências foi de 342,4 kWh e da outra de 142,4 kWh, uma residência consumiu 100 kWh a mais do que era previsível. Pode então dizer que a residência um está furtando energia da residência dois. Então a residência um e seus responsáveis, serão enquadrados no artigo de 155. Furto, então ele será processado e pagará um indenização á servidora responsável pela energia. Ao fazer “gato” você acaba se prejudicando e nem sempre precisa ser denunciado basta um profissional ler seu medidor que será óbvio à ele. Não se prejudique!