Como Fazer Diagrama de Ishikawa

Como Fazer Diagrama de IshikawaO Diagrama de Ishikawa foi elaborado pela primeira vez em 1943 pelo engenheiro químico Kaoru Ishikawa e foi aperfeiçoado nos anos seguintes. Muito usado na área da Administração, sua função principal é gerenciar e controlar a qualidade de diversos processos.

O Diagrama de Ishikawa ou “Espinha de Peixe” ou ou ainda “Diagrama de Causa e Efeito” tem em sua estrutura diversos problemas classificados em 6 principais tipos:

Método;

Matéria – Prima;

Mão – de – obra;

Máquinas;

Medição;

Meio – Ambiente.

Este tipo de diagrama é feito por grupos de trabalho e possibilita a detecção das origens de diversos tipos de problemas, oportunidades de melhorias, assim como efeitos sobre a qualidade do produto. Trata-se de uma ferramente extremamente eficaz pois estrutura hierarquicamente as causas de um determinado problema.

Para fazer um Diagrama de Ishikawa você deve coletar o maior número  de informações possíveis sobre os 6 itens listados acima, quanto mais detalhista forem as anotações, maior será o sucesso para identificar os problemas ou fazer análises sobre situações concretamente especificadas.

Componentes do Diagrama de Ishikawa

Cabeçalho – Deve conter o título, a data em que foi feito o diagrama e o nome do autor (ou dos componentes do grupo que o fizeram);

Efeito – Deve conter o enunciado do projeto, isto é, o problema a ser verificado e os indicadores de qualidade. Devem ser escritos do lado direito, no meio da folha;

Eixo central – Uma flecha desenhada horizontalmente no meio da folha que deve apontar para o efeito;

Categoria – Principal grupo de fatores que se relacionam com o efeito, as flechas são desenhadas inclinadas e convergem para o eixo central (daí a aparência de uma espinha de peixe);

Causa – Causas potenciais que podem contribuir com o efeito, devem ser desenhadas em linhas horizontais apontando para o ramo da categoria;

Subcausa – São as causas potenciais que podem contribuir com uma causa específica, são as ramificações de uma causa.

Por exemplo: Supondo que tenha sido lançado no mercado um novo modelo de cadeiras. As cadeiras não têm boa saída e há muitas reclamações sobre o produto, este é o efeito, ou seja, o problema a ser resolvido.

Para definir a categoria do problema apontado acima, deve-se pensar quais fatores podem contribuir com ele, por exemplo, a matéria prima ou o design.

As causas que podem contribuir com a categoria matéria prima pode ser o fato de não se tratar de matéria prima de boa qualidade ou o design não agradou os consumidores ou as cadeiras não são bem projetadas.

As subcausas são as que podem contribuir com as causas citadas acima, por exemplo, quanto a matéria prima o problema podem ser os fonecedores, quanto ao design o problema pode ser a mão-de-obra, etc.

No exemplo dado, poderia se chegar a causa do problema mais facilmente a partir de um estudo detalhado sobre cada um dos itens e dessa forma resolver o problema com mais facilidade. Essa é portanto a chave do diagrama, a disposição das informações e sua riqueza detalhes.