Como Fazer Cálculo de Férias

Como Fazer Cálculo de FériasPara quem já perdeu os privilégios que o ambiente escolar oferece a alguns tempo, sabe que o que faz mais falta são as férias. Três meses de descanso por ano é uma realidade um tanto quanto distante para a maioria dos trabalhadores. Então, quando chega o único mês do ano em que é possível esquecer dos compromissos, o sujeito deve aproveitar.

Muita gente tem dúvidas sobre quanto deve receber em dinheiro quando entrar de férias, mas lendo esse artigo você verá como é fácil fazer cálculo de férias.

1. O direito a férias. Depois de 12 meses de contrato de trabalho, o empregado tem direito a tirar férias remuneradas. Contudo, existem algumas ressalvas que devem ser levadas em consideração no momento de tirar férias:

I- Diminuição do tempo de férias. O trabalhador que faltar mais de cinco vezes ao serviço terá o direito às férias reduzido. Seguindo o esquema abaixo:

  • 24 dias para o empregado com 6 a 14 faltas
  • 18 dias para o empregado com 15 a 23 faltas
  • 12 dias para o empregado com 24 a 32 faltas.

2. O valor que você recebe de férias é referente a um salário mais um terço (1/3) dele. Este direito é garantido constitucionalmente. Observe o exemplo:

Se o trabalhador tem um salário de R$750,00 receberá essa quantia somada a 1/3.

Um terço de 750 é igual a 750/3= 250

Desta forma, este trabalhador receberá 750+250= 1000

O salário de férias será igual a R$1000,00.

Se o trabalhador faltou 6 dias sem que essas faltas fossem abonadas, ele terá direito a 24 dias de férias. O cálculo das férias será diferente, pois não será levado em consideração o valor total de um salário.

Primeiro, deve-se descobrir qual o valor referente ao dia de trabalho. Faz-se isso dividindo o salário total pelos dias do mês: 750,00 ÷ 30 = R$ 25,00

Depois, você deve multiplicar esse valor pela quantidade de dias de férias que o trabalhador terá direito. Nesse caso, em que há 6 faltas, o trabalhador só terá direito a 24 dias de férias.

Assim, a conta ficará: R$ 25,00 x 24 = R$ 600,00

A este resultado deve ser somado o adicional de um terço.

No exemplo, ficaria assim: R$600 ÷ 3 = R$ 200,00

A remuneração total ficaria em : R$ 600,00 + R$ 200,00 = R$ 800,00

3. O que anula as férias: Não terá direito a férias o trabalhador que:

  • Deixar o emprego e não for readmitido dentro dos dois meses seguintes a sua saída;
  • Permanecer de licença e recebendo salário por mais de 30 dias;
  • Ficar 30 dias ou mais sem trabalhar e recebendo salário devido a paralisação parcial ou total dos serviços da empresa;
  • Tiver recebido da Previdência Social prestações de acidente de trabalho ou de auxílio doença por mais de 6 meses, mesmo que descontínuos.

É importante destacar que, depois de um ano, o trabalhador tem o direito a retirar suas férias. Se o empregador não o concede até 12 meses depois do direito entrar em vigor, o trabalhador adquire o direito de receber as férias em dobro, de acordo com o artigo 137 da CLT.

Lembre-se que, assim como no 13º, do valor recebido das férias são deduzidas as contribuições pagas ao Instituto Nacional da Seguridade Social (INSS), assim como o Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF).