Como Adotar uma Criança

Como Adotar uma CriançaSeja qual for o motivo da adoção – a incapacidade de ter filhos ou a razão social – adotar é primeiramente um ato de amor ao próximo. É importante, ao educar uma criança – seja ela adotada ou não – a certeza de que você irá amá-la, independente de como for. Filhos não são extensões dos pais, então é necessário saber que ela poderá traçar seu próprio caminho e cabe aos pais somente mostrar as opções. Maturidade é o ingrediente principal, então se está preparado, aprenda aqui como adotar uma criança.

1. Cadastro. O Cadastro de Pretensões para Adoção poderá ser feito num Juizado da Infância e da Juventude. É necessário saber quais documentos levar (variam de juizado para juizado). A adoção poderá ser feita por casais, pessoas solteiras e homossexuais.

2. Perfil. No cadastro poderá ser escolhido o perfil da criança desejada. As opções são variadas e a escolha pode ser entre o sexo, idade  (no caso de crianças maiores de 3 anos, é chamada de adoção tardia), as condições de saúde e o tipo físico. Vale a pena pensar bem e conversar com outros pais para saber as vantagens e desvantagens de cada opção.

3. Entrevista. Cerca de dois meses depois, será agendada uma entrevista feita por um psicólogo (a) do juizado para saber sobre seu perfil, estabilidade emocional, condições financeiras (é importante boa condição financeira, porém não é decisório) e familiares. Poderá ser necessária a visita de uma assistente social para avaliar sua casa, se é adequada para receber uma criança.

4. Certificados. A Juíza dará seu parecer a partir da entrevista feita pelo psicólogo e o laudo final das “investigações”. Caso seja positivo, será aprovado o seu Certificado de Habilitação para Adotar, com validade de dois anos em território nacional.

5. Fila de adoção. Com o certificado emitido, automaticamente você entrará na fila de adoção do seu Estado. Quando aparecer uma criança de perfil compatível (o tempo varia de acordo com o perfil, podendo demorar até cinco anos) será chamado para conhecê-la. Alguns juízes são contra a separação de irmãos.

6. Guarda. Para crianças de menos de dois anos, a guarda é definitiva. Caso seja maior, a guarda deverá ser provisória por um ano (tempo de adaptação).

7. Guarda definitiva. Os pais poderão alterar o sobrenome e até o primeiro nome da criança.

Vale lembrar que para ser pai e amar, independe da genética. Boa sorte no processo!